Brigite e a Vila Ariot parte 2

cisnecont

A criatura que era uma mistura de cisne com algum deus mitológico tinha um poder fora do comum, hipnotizando quem o olhasse por pelo menos uns segundos. Chamado Cisneto, era uma espécie temida por quem o já tinha visto de longe, mas o que eles não sabiam é que a criatura fazia parte das forças do bem, só que de uma forma discreta. Com seu poder hipnótico, capturava sempre pessoas de alma pura e bom coração, e as transportava para um local onde o seu mestre ensinava a todos os então ‘prisioneiros’ maneiras de se comportar no mundo e técnicas para se defender de perigos na vida voluntária. A intenção do líder era fazer com que pessoas muito boas, porém ingênuas da realidade, pudessem enxergar o mundo como realmente é, com seus perigos e armadilhas. Ele dizia que as pragas do mundo eram os chamados cisnes negros e deviam sempre ser combatidos. Depois que as pessoas passavam pelo curso, eram devolvidas às suas casas, porém jamais iriam lembrar do que aconteceu e nem de cisneto algum. Foi então o que aconteceu com Brigite, foi levada por Cisneto ao seu local e ficou por lá cerca de seis meses. Antes ela era muito bondosa, continua sendo, mas agora entende e decifra as pessoas falsas e más ao seu redor, podendo assim proteger mais ainda seus amigos. Essas pessoas que estão para nos proteger podem ser chamadas também, assim como Brigite, Anjos de nossas Vilas, onde vila se refere à nossa vida e todos que fazem parte dela.

Brigite e a Vila Ariot

cisneandfirelmb

Certa vez a muito tempo, em uma vila litorânea distante e isolada, havia uma moça chamada Brigite. Admirada por todos da pequena cidade, era atenciosa às pessoas mais velhas, ajudava as crianças e sempre estava pronta para ajudar os enfermos.
O  amor ao próximo parecia vir dela como algo puro, imutável. Bonita e elegante, de cabelos macios e cor de fogo que lembravam o calor humano que ela tinha para ajudar os outros, Brigite certo dia passando pela ponte do riacho da vila se deparou com uma figura estranha, que nunca tinha visto por perto. A criatura tinha uma coloração roxeada vista de longe, mas era somente fumaça, algo sem forma definida, ora de textura rugosa, ora leve como nuvem. A jovem se assustou e não sabia se devia chegar mais perto. Mas corajosa como é, não deixou se abalar pelo medo, pensando que talvez aquilo fosse algo de sua imaginação.
À medida que ela foi se aproximando, chegando na metade da ponte, a criatura havia desaparecido, e o que havia lá era somente um casal de passarinhos cantarolando alegremente ao barulho da correnteza da água do riacho que era contínuo e intenso. Olhou para baixo por uns instantes e viu que algo se mexia na água. De repente, como se um furacão surgisse por debaixo das águas, o riacho foi se elevando como uma forte correnteza, e lá de cima foi possível ver a criatura, que dessa vez se exibiu um lindo cisne roxo de olhos negros, um negro tão profundo que hipnotizava a quem olhasse. Brigite não podia acreditar no que estava vendo.

continua na próximo capítulo…