A Liga do Design no cinema…

Olá pessoal como vão?

Peço desculpas por não estar postando sempre, mas sabem como é né. O TCC é realmente a única coisa que pode se apossar da sua vida inteira, não dá para fazer nada sem pensar na sua tese. Mas ainda bem que é algo que eu gosto muito, e logo conto à vocês sobre o que será…

Mas vamos parar de papo furado e vamos ao que interessa aqui hoje neste post. Isso mesmo, a Liga do Design, a qual não divulguei todos os integrantes ainda, como divulgado aqui, entrou no mundo cinematográfico.

Nos inscrevemos no festival internacional de curtíssimos, festival esse que seleciona curtas nacionais e internacionais com duração máxima de até três minutos sem contar abertura e créditos. A experiência foi ótima, rica e prazerosa. Todos aprendemos muito com o processo criativo do curta. Desde as primeiras ideias para o roteiro até a parte de criação de arte, figurino, fotografia, filmagem, montagem e edição final.

Foi um processo trabalhoso, afinal não se produz um filme ou curta metragem do nada, Leva tempo, e isso foi algo que não tivemos muito de sobra. Em menos de um mês fechamos o tema e gravamos no período de uma semana, e a edição levou um dia. A nossa personagem principal é a atriz profissional ADrielle Ferreira, que levou o filme todo em suas costas, pois a sua personagem tem um papel relevante na história. Mas não vou contar, por favor assistam e apreciem.

Ah e claro, a atuação é dos integrantes da liga e a direção é de nossa grande amiga Maria Rosa.

Segue a ficha técnica:

Direção: Maria Rosa Moreira

Roteiro: Maria Rosa Moreira

Direção de Fotografia: Paulo César Pires

Direção de arte: Leandro de Mello Barbosa, Aline Zanco

Trilha Sonora: Diego César

Edição: Aline Zanco e Leandro Mello

Atuação: Diego César

Bruno Vitor

Michel Sia

Ramile Soares

Mateus Oliver

Malu Sena

Adrielle Ferreira

galeraligadesign_curta_transe

Transe from Leandro Mello on Vimeo.

Dica: assistam em tela cheia e com fone de ouvido 😉

Abraços pixelados a todos e até a próxima!

Candy Project

Como prender a atenção das pessoas para assuntos mais sérios e importantes?

Usando uma boa dose de bom humor.

Os publicitários Will Ferrari Júnior e Alexandre Freire conseguiram usar o bom humor para levantar um negócio tão comum no nosso dia-a-dia mudando a sua abordagem.

O Candy Project faz do simples ato de vender balas em semáforo uma ação que nos faz refletir. Thiago Martins Silva vende balas em um semáforo no Butantã. Foi desenvolvida pelos publicitários, uma série de frases e ilustrações criativas que chamam a atenção dos motoristas e passageiros.

Thiago chega a vender cerca de 250 balas em 5 horas em um dia normal. No dia do “Candy Project”, todas as balas se foram em menos de três horas.

Veja abaixo o vídeo do projeto e as imagens dos doces.

Este slideshow necessita de JavaScript.

fonte:CatracaLivre

É realmente incrível como as pessoas são atraídas pelo novo, diferente, inusitado e o divertido. Ainda mais no trânsito onde todos andam muito estressados, preocupados com seus problemas em seus mundos. Quando se deparam com algo que as faz sair de um estado e despertar para algo novo, as pessoas param e reagem de forma positiva aquilo.
Vender bala em semáforo geralmente é visto com mal olhar pelos outros, mas nem sempre a pessoa que está vendendo tem como se sustentar. A questão ali é sobrevivência. Claro que há exceções, como quando crianças muito novas trabalham na rua. Isso é preocupante e desumano.
Mas quanto ao projeto, achei muito inteligente a campanha dos publicitários. É uma forma das pessoas ajudarem ao próximo com outro olhar. Bom, essa é a minha humilde opinião.

E vocês pessoal, o que acham disso tudo?